<$BlogRSDUrl$>

quarta-feira, novembro 05, 2003

A blogoesfera é um pau de dois ou mais bicos 

O espertalhão do Pipi apagou os arquivos. We wonder why? oh, oh oh why... Canta o Pai Natal à porta. A ética do Pipi é do caralho! E vocês, grandes rotos, estão à espera do quê para deixarem o Pipi dele pendurado à porta do Pai Natal, no caso dos rotos incréus, e do Menino Jesus, para o caso dos verdadeiros e genuínos rotos?

Para que conste: temos o Pipi TODO em cache. Guardadinho. Vendemos mais barato aos interessados. Favor usar o mail do Pipi que é nosso amigo íntimo... And now for something serious: TEMOS MESMO O PIPI TODINHO EM CACHE E MANDAMOS DE BÓRLIU À MALTA QUE PEDIR. a internet é do caralho! foda-se! mangalho! Rapioqueiro o tipo, hein!!!

terça-feira, novembro 04, 2003

José Mário está estimulado 

10 meses 1 / posted by José Mário 0

Isto deve mesmo interessar porque se não interessasse não era preciso dizer que estes números todos não interessam. Bem. Perceberam?

TEMPO DE BALANÇO. Hoje, o Blog de Esquerda chega aos 10 meses de vida (nascemos há uma eternidade, no primeiro dia do ano). Nem de propósito, o contador exibe outro número simbólico e redondo: 100.000 visitas (com 139.000 page views). Já agora, o Technorati regista 400 inbound links e 350 inbound blogs. Não sei se é muito, se é pouco, nem me interessa. É a prova de que há pessoas que nos procuram, que nos lêem, que nos comentam, criticam e estimulam. Pela nossa parte, vamos continuar. Estes foram apenas os primeiros 10 meses do resto das nossas vidas.
posted by José Mário at 15:42

Seabra desmonta o Lego Bionicle de Pereira no Público de Domingo 

Seabra 1 / Pereira 1

Empate Lego Technicle. É que Seabra sentiu que era necessário desmontar o Bionicle de Pereira. Pereira esfrega as mãos de contente porque o seu Bionicle está a dar nas vistas...


"Early Morning", com Pacheco Pereira
Por AUGUSTO M. SEABRA
Domingo, 02 de Novembro de 2003

Segunda-feira, 27 de Outubro. Despertar, ouvir a TSF - ontem, no seu comentário na SIC, Pacheco Pereira criticou a intervenção do Presidente da República. Iniciar o dia com a leitura do PÚBLICO; "Pacheco critica escolha de novo director do 'DN'", o que ele teria feito no seu blogue, Abrupto. Duas vezes Pacheco Pereira logo pela manhã? Ele costuma iniciar as entradas diárias no Abrupto com as notas de "Early morning blogs". No caso, achava-me eu, logo em "early morning", bombardeado com ecos de Pacheco Pereira - oh, o enfado imediato!

Este é um exemplo claríssimo de uma questão cada vez mais premente, questão afinal até adjacente a algumas que o próprio Pacheco Pereira insistentemente aborda, mas a que no caso, "et pour cause", ele se esquiva: a emissão de opinião no espaço público em Portugal, na sua pertinência política e mediática (e cultural) e nos seus níveis de "performatividade", que se não se esgotam no acto em si mas prosseguem em ecos no sistema mediático.

A questão não é apenas a das curiosas singularidades dos comentadores políticos em telejornais, agora exacerbada no duelo Marcelo/Pacheco (mas não haverá noção da parte de ridículo?), nem mesma das eventuais assimetrias no leque. A questão, que se me afigura cada vez mais premente, é como a multiplicação de medias, e agora até agora o novo espaço comunicacional dos blogues na Internet, está afinal também a cristalizar e mesmo agudizar um efeito de sinal inverso, um retraimento no eco da opinião emitida, substancialmente reduzida a algumas figuras instituídas. E dessa situação Pacheco Pereira tornou-se actor e sintoma maior. E sintoma tanto mais relevante quanto ele tem opiniões conhecidas sobre a própria legitimidade da opinião.

À sua relação com os medias tem sido apontada uma contradição entre uma crítica sistemática ao sistema (sobre o qual produziu algumas das mais aberrantes simplificações e algumas das mais imprescindíveis análises) e a presença frequente, "uso" mesmo; não deixando de haver pelo menos uma ambiguidade, quando não mesmo nalgumas situações uma verdadeira esquizofrenia, ainda assim a proposição crítica em relação ao discurso de Pacheco não deve obliterar que é inerente à própria omnipresença do sistema mediático que a crítica àquele se realiza, como ele intenta, internamente ao sistema. O que já se afigura mais problemático é que no seu caso a crítica se fundamente na reclamação de duas legitimidades, a intelectual e a política, e na correlativa insinuação de que os media estarem privados de uma e de outra e de uma legitimidade própria.

Quando Pacheco Pereira anatemiza o "jornalismo de causas", está evidentemente a fazer de conta que desconhece a história da imprensa e da formação do espaço público. A sua questão é outra: os produtores de informações, não sendo sufragados pelo voto, não têm legitimidade para fazerem "uso" público de opinião. O seu caso seria diferente: como intelectual, ele está ainda investido da legitimidade tradicional, essa mesma que se confronta com a efemeridade mediática; mas como eleito pode-se também reclamar da legitimidade do voto; na confluência de uma e de outra arroga-se um suplemento de legitimidade que transporta, como se fosse inerente, para o campo mediático.

A isto acresce uma pragmática comunicacional insistente, reiterada na sua entrada em fanfarra na blogosfera. Ninguém fez tanto pela publicitação do novo espaço como ele e de algum modo também ninguém lhe limitou tanto o alcance. Foi o Abrupto que para muitos tornou prática corrente o novo espaço; é o blogue mais visitado e o mais repercutido, designadamente no próprio campo em relação ao qual a blogosfera se pretendia espaço crítico (Pacheco o disse), os medias tradicionais. Seria inevitável, mas não seremos incautos para imaginar que alguém como uma tão notória pragmática comunicacional ignorasse as mais-valias potenciais.

"Pacheco critica escolha de novo director do 'DN'", titulava o PÚBLICO na segunda-feira. "Bondade" deste jornal. Escreveu sim ele, como aliás vinha na notícia: "enquanto o Estado for dono de órgãos de comunicação social, de que tem a posse directa, como a 'televisão pública' ou a RDP, ou que foram de novo 'nacionalizados' via PT, por iniciativa do par Guterres/Pina Moura, sem protesto de ninguém, todos os governos fazem nomeações políticas para as suas direcções. Insisto, todos". Exemplo esclarecedor: politicamente, porque elucidativo de que a sua autonomia de opinião tem voluntariamente o limite de se cingir aos actores partidários, e se portanto o poder PS já fez, não esperem dele que critique pelo mesmo o poder PSD (e, igualmente esclarecedor, as opiniões críticas sobre a operação PT/Lusomundo que tenham tido emissores exteriores aos campos partidários, para ele essas é como se não existissem); comunicacionalmente, porque logo a opinião de Pacheco é ampliada e imprimida, comprovação de que o Abrupto não é apenas uma entidade comunicacional na blogosfera mas que se transmuta em entidade política nas suas repercussões nos medias tradicionais.

O "Flash-back" acabou? Deve ser a única nota positiva na preocupante reestruturação da TSF. Mas logo Pacheco se indignou! Pronto, vai reaparecer na SIC Notícias, e estou certo que voltaremos a ler, no PÚBLICO nomeadamente, "ontem no 'Flash-back' Pacheco Pereira...", mais a coluna neste jornal, mais o espaço aos domingos na SIC, mais o Abrupto, mais os ecos. É isto exemplo da democraticidade do espaço público?

Pacheco Pereira tornou-se actor e sintoma maior de um atrofiamento. Não faltariam mais exemplos e também aqui longe de mim excluir-me de um sistema de que comparticipo. Mas é inquietante a formatação da opinião no espaço público em Portugal. Pelo menos considerá-la, é um desafio dos media - e a esses não há exterior na vitalidade de uma sociedade democrática.

Charlotte declara-se à Blogoesfera 

Charlotte 1 / Blogoesfera 500.000

Gosto muito, muito da blogosfera. Todos os que lêem o bomba e aqueles que me conhecem sabem disso.

Somos todos testemunhas deste amor mas, uma vez contactada, a blogoesfera reagiu atordoada e disse: «Não estava nada à espera desta bomba dita inteligente. É toda uma cornucópia de emoções que afloram e afaunam e assim... Gosto muito dela também. Falo em meu nome, pessoal, e no de todos.»

sexta-feira, outubro 24, 2003

500 mil  

Estamos a pensar seriamente em editar este blogue em livro numa edição de autor com capa acolchoada. De momento não podemos adiantar mais nada senão a data da festa que, por motivos óbvios, não revelaremos. Não serão permitidas palavras mas apenas números e alguns algarismos. A Formiga de Langton fará uma aparição acompanhada do Teste de Touring e do Fifa 2003 ou coisa que o valha. Iremos jogar o jogo das minas mas em versão real. Ajudem-nos a concretizar este sonho.

400 e tal mil people are strange! O Pipi é o RAC 

Voltámos! Estamos fodidos com o sucesso do Pipi. Fomos à  festa e, como não poderia deixar de ser, apresentámo-nos à  bomba inteligente que, aqui para nós, tem um corpo à maneira mas olhos de garoupa. A bomba tem uns olhos muito esquisitos, assim do estilo salientes, estão a ver o Homer Simpson? Adiante. De resto, á hiper-simpática e muito mais nova do que parece. O marido? Não chegámos a perceber quem era. Mas devia ser alguém. O Nuno Guedes leu um texto baril que mesmo sem graça tinha vírgulas mas também é um tipo estranhíssimo embora não tenha olhos de garoupa. Toda a gente dizia que o Pipi é o Renato Augusto Figueira do Gato Fedorento. Ouvimos isso até na casa de banho. O Pipi-é-o-RAC, O Pipi-é-o-RAC, O Pipi-é-o-RAC. Ainda tentámos perceber quem era o Rac lançando-nos na peugada da bomba, mas a miúda é hiperactiva.
Para além destes cromos estava malta ainda mais esquisita, a malta da blogoesfera que, para ser francos, não sabemos caracterizar. Estão a ver assim uma mistura de gajas novas, solteiras todas disponíveis e outras, mais velhas, divorciadas, com filhos e todas disponíveis e gajos novos todos disponíveis e outros, mais velhos, divorciados com filhos e todos disponíveis, malta que ninguém conhece de sítio algum e que se apresenta assim: olá eu sou http://montanha mágica.blospot.com, e eu sou o http://bichoescalaestantes.blospot.com, aperta aí estes ossos, pá! eu sou o http://blogsobrekleist etc e tu quem és? eu sou o http://modus vivendi etc e aqui está o ponto e ali vão os http://marretas? Onde? Estão a ver os marretas? É a malta da blogoesfera a dar-se linques e onde até os que são conhecidos são estranhamente conhecidos. Nós não nos revemos neste retrato, como é óbvio!

A um canto da sala Artur Garcia ria muito e a Clara Pinto Correia apareceu de tranças.
Gramámos.

terça-feira, setembro 30, 2003

400.138 

Atingimos as quatrocentas mil cento e trinta e oito.

Obrigado.

Estamos a precisar de um tubo de cola UHU contact e uma prancheta A3 cinzenta com 23 mm, se nos pudessem também enviar o tubo em cheque e a prancheta em euros, agradecíamos. Já agora, pedimos a Marcelo Rebelo de Sousa que troque de gravata com Pacheco Pereira que lhe pode ceder a barba e a mesa em forma de rim.

segunda-feira, setembro 29, 2003

400.119 

Atingimos as quatrocentas mil cento e dezanove.

Obrigado.

Já agora, estamos a precisar de um passe-vite de metal, uma caixa de palitos la reine e a letra da canção early morning trues pelo Net Prince Cool. Façam-nos chegar as encomendas através dos endereços de e-mail de outros bloggers. Somos amigos íntimos de todos. Conhecemos todos pessoalmente. São excelentes pessoas, inteligentes, bonitos, elegantes e casados. Gostamos muito do ambiente da blogoesfera. Agradecemos à Bomba Inteligente (http://outro-eu.blogger.com.br) a forma como nos recebeu. Agradecemos ao Outro Eu (http://bomba-inteligente.blogspot.com) a forma como nos reconheceu e agradecemos a todos em geral a alegria de podermos ser melhores. Não bons. Mas melhores.

A todos obrigado.

quinta-feira, setembro 25, 2003

401.000 

Atingimos as quatrocentas e um mil.

Obrigado.

quarta-feira, setembro 24, 2003

400.900 

Atingimos as quatrocentas mil e novecentas.

Agradecemos a todos o incentivo.

Eis, finalmente, um motivo que justifica a vossa visita. Um texto seminal sobre um conhecido semiólogo assinado por João Soares. Acreditem que é realmente verdade:

"Almondega.
9/13/2003

É um caso de falta de caracter como há poucos na nossa terra. Coluna vertebral em termos civicos e politicos é coisa que não tem, um verdadeiro molusco. Fisicamente é mais uma pequena almondega. Antes de Abril de 74 primou pela ausencia, depois aderiu ao PCP de que saiu em 26 de Novembro de 75. Esteve pelo PS, no tempo de Constancio, pelo PRD deu tambem um ar da sua graça, passando claro pela sabujice a Cavaco Silva enquanto Primeiro Ministro. Um espanto de rectidão e de coerencia. Puseram-no na Comissão Nacional do PS de novo no ultimo congresso, mas é sitio onde não aparece. Prometi-lhe a doçura de um "eclair" de café nas ventas, claro não se bate numa almondega. Tenho que arranjar tempo de passar por uma boa pastelaria. "

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Site
Meter